Bloco de notas

•Janeiro 11, 2008 • Deixe um Comentário

The notebook has been around forever. Do you remember your first one? It probably had very wide lines and perhaps a spiral binding. You used a fat pencil and traced letters until they became second nature. Before long you learned script. Then you migrated to pens. Some of you, dear readers, are now Moleskine aficionados and are selective and perhaps downright snooty about your pen choice. The lefties here might have learned that it is easier to start at the back of a notebook so that you don’t rub your hand across that lump of the binding as you write. (The righties here don’t get that sentence – nevermind, read on righties.)

By now you are probably just as comfortable with a keyboard as writing. And, to make 2008 the best year ever this Black Belt activity requires you to stop using that keyboard. Don’t panic, I’m talking about just 15 minutes per day when your notebook reigns.

Here’s the activity (the why comes later):

  1. Get a timer and set it for 15 minutes – use the one on your cell phone, a freestanding one ($10 at a general merchandise store in the kitchen section), or the one on your watch.
  2. Go to a place with few distractions – consider a conference room, a coffee shop, the sofa in your home in a low activity room (only put on music with no words such as classical or zen music), and do not stay at your desk.
  3. Open your notebook.
  4. Start your timer.
  5. Stare into space or close your eyes and see what pops into your mind.
  6. Once a topic comes to mind, write it on your notebook and stop thinking about it. You’ve put it on your list so that you won’t forget the topic. You’ve put it on your list to clear you mind of that issue, thought, concern, action item ‘to do’, discussion, etc. Do not replay full discussions. If one comes up, write the topic and hit “pause” on your mental replay.
  7. Hang in there for 15 minutes. Keep letting go of topics and wait for the next. Breathe easy. Stay still. For some of us that will be 15 minutes that feels like an hour. Others will fall asleep this time. Try not to do that next time. Some will have three things in the notebook for the session. Others will have 23 notes. The goal is to make room in your day and mind to let things come to mind that are squeezed out during the crazy busy distraction-filled time with family and co-workers.
  8. When the alarm goes off, return to your routine. Take your notebook with you and integrate the most important idea with your plan for ‘what’s next’.
  9. Repeat daily.

It’s most effective if you put that 15-minute block of time right on your calendar and respect the appointment with yourself as if it were a meeting with Warren Buffet, Oprah, or Tiger Woods.

fonte: http://www.lifehack.org/articles/productivity/how-to-use-a-notebook-to-make-2008-the-best-year-ever.html

Design Emocional

•Dezembro 31, 2007 • 2 comentários

Quatro pontos essenciais quando se fala de design de produto, design de interfaces ou mesmo design gráfico:

  • ser intrigante e inovador, com uma aura de mistério que convide à descoberta, sem confundir o utilizador;
  • ser multi-sensorial, i.e. que estimule vários sentidos do utilizador, também em sentidos nunca tentados ou pouco utilizados;
  • prever níveis de experiência para o utilizador que se revelem progressivamente ao longo do tempo, sendo que desta forma se aprofundará a riqueza da experiência de fruição do produto;
  • ter uma interface intuitiva, i.e. que garanta uma compatibilidade com uma perspectiva de mais tradicional de usabilidade.
Adaptado de: http://lucachittaro.nova100.ilsole24ore.com/2007/12/lo-zen-e-linter.html

Formatos de imagem – online

•Dezembro 17, 2007 • Deixe um Comentário

Formato JPEG

O formato JPEG (Joint Pictures Expert Group) é um tipo de arquivo para armazenamento de imagens que pode trabalhar com esquema de cores em 24 bits. Isso significa que este formato aceita 16,8 milhões de cores. O JPEG é um dos formatos de imagens mais populares e isso deve-se à capacidade de reproduzir imagens fiéis às originais.

O JPEG utiliza um algoritmo de compactação que se baseia na capacidade do olho humano. No entanto, mesmo sabendo-se que ficheiros em JPEG podem trabalhar com até 16,8 milhões de cores, o olho humano não é capaz de distinguir todas elas. Assim, é possível tirar uma série de informações que representam cores em imagens e manter apenas aquelas visíveis ao olho humano. Noutras palavras, o formato JPEG “tira” da imagem aquilo que os humanos não conseguem ver. Esse processo é conhecido como compressão. Isso faz com que imagens bastante realistas sejam criadas, sendo que os tamanhos dos ficheiros são reduzidos.

Algo interessante no JPEG, é que os ficheiros podem ter diferentes níveis de compressão. Quanto maior a compressão, ou seja, retirada de informação, menor será o tamanho do ficheiro, porém pior será sua qualidade. Assim, quando se disponibilizar as imagens online, é mais adequado mantê-la em tamanho pequeno. No entanto, se a imagem for utilizada num documento, muitas vezes é melhor mantê-la com o máximo de qualidade possível, para que a impressão seja satisfatória.

Uma desvantagem do JPEG é que a imagem normalmente perde qualidade a cada vez que o ficheiro é salvo. A isso chama-se compressão degenerativa. Os ficheiros em JPEG têm a extensão .jpg. Por exemplo, imagem.jpg.

Formato GIF

O formato GIF (Graphics Interchange Format) é um tipo de ficheiro para imagens que trabalha com uma paleta de 256 cores. Isso faz com que o GIF não seja recomendável para figuras que precisam de aproximação da realidade, a não ser que a imagem em questão seja a preto e branco (ou escala de cinzentos). Devido a essa característica, o uso do formato GIF é adequado para ícones ou imagens que não precisam de muitas cores (ilustrações, por exemplo).

Apesar deste formato parecer limitado devido ao número baixo de cores com que trabalha, o GIF é muito utilizado por alguns recursos que oferece. Um deles é a capacidade de utilizar fundo transparente. Com isso, é possível, por exemplo, que um site publique uma imagem em GIF e esta terá como fundo a cor da página. Além disso, o GIF permite que uma sequência de imagens sejam guardadas num único arquivo, onde cada imagem surge no lugar da anterior após um tempo pré-determinado. Isso dá a sensação de animação, como mostra a imagem abaixo.

O GIF utiliza um formato de compressão que não altera a qualidade da imagem a cada operação de salvar, como ocorre com o JPEG. Considerando esta forma de compressão juntamente com a capacidade de trabalhar apenas com 256 cores, o GIF consegue criar imagens com tamanho bastante reduzido. Isso foi essencial para o início da internet, onde a velocidade era bem mais baixa que a actual.

A extensão dos arquivos no formato GIF é .gif. Por exemplo, imagem.gif.

Formato PNG

O PNG (Portable Network Graphics) é interessante porque consegue trabalhar com esquema de 24 bits de cores, ou seja, 16,8 milhões de cores. No entanto, em comparação com o JPEG, a compressão obtida é mais eficiente e não proporciona perda de qualidade a cada salvamento, o que permite maior fidelidade à imagem original. Além disso, as imagens em PNG não requerem muito espaço, podendo-se ter figuras de alta definição e tamanho em bytes pequeno. Ainda assim, o JPEG costuma ter imagens de tamanho ainda menor em alguns casos.

O PNG também possui o recurso de transparência, o que o faz uma excelente alternativa ao GIF neste caso, pois é possível ter imagens com fundo transparente, mas com o objecto utilizando um número muito maior de cores.

As imagens no formato PNG possuem extensão .png. Por exemplo, imagem.png.

Adaptado de http://www.infowester.com/imagensnet.php

FLAC?

•Dezembro 5, 2007 • Deixe um Comentário

FLAC stands for Free Lossless Audio Codec, an audio format similar to MP3, but lossless, meaning that audio is compressed in FLAC without any loss in quality. This is similar to how Zip works, except with FLAC you will get much better compression because it is designed specifically for audio, and you can play back compressed FLAC files in your favorite player (or your car or home stereo, see supported devices) just like you would an MP3 file.

Flying distractions

•Novembro 22, 2007 • 1 Comentário

“Second Life” isn’t without its drawbacks. It can be distracting to have people “flying” above you while you’re trying to concentrate on a classroom discussion, said Brien Walton, 40, a master’s degree student in educational technology at Harvard who is taking Nesson’s course.

(“Flying” and “teleporting” are two ways of navigating around the online digital world.)

Composições

•Novembro 19, 2007 • Deixe um Comentário

Princípios de construção de uma composição

Organização

  • Princípio da proximidade – elementos que estão relacionados devem estar fisicamente próximos. Elementos não directamente relacionados devem estar separados . O grau de separação entre elementos indica ou reflecte a sua organização por grupos de conteúdo. Os espaços que se criam entre estes grupos determinam «paragens» na leitura e facilitam a sua compreensão.
  • Princípio do alinhamento – cada um dos elementos da página deve estar alinhado com outro. O alinhamento de elementos cria unidade e coesão. Os alinhamentos podem influenciar a leitura global da composição. Os textos devem ser alinhados à esquerda, de preferência. O uso de alinhamentos ao centro de ser reservado para títulos. Os alinhamentos à direita devem ser evitados.
  • Princípio da repetição – por vezes também designado por consistência. Indica que deve ser repetido um qualquer aspecto da composição. A repetição serve como uma pista visual e ajuda a prender a atenção do observador. A repetição pode ser de uma fonte, de um estilo (bold, itálico, etc…) de um tamanho, etc…
  • Princípio do contraste – constitui uma das maneiras mais eficazes de atrair o olhar de um observador. O contraste cria uma hierarquia visual que facilita a leitura da mensagem. O contraste pode ser criado usando os textos ou imagens em conjunto com texturas e elementos gráficos: linhas, formas, cores, etc… A primeira coisa a estabelecer deve ser qual será o foco da atenção da composição.

Avaliação de posters

•Novembro 19, 2007 • Deixe um Comentário

The design clearly and completely communicates the message. A degree of originality is used in the graphics and/or illustrations. The composition leaves enough negative space around the edges of the poster so that the eye can move around the images. A center of interest is established and the work is visually balanced. Lines, values, and shapes are appropriately clear and add to the communication and aesthetics of the work. The craftsmanship is of high quality.

O design comunica claramente e completamente a mensagem. Um elevado grau de originalidade é usado nos elementos gráficos e/ou nas ilustrações ou imagens. A composição deixa espaços negativos suficientes à volta dos elementos do poster para que o olhar circule pela(a) imagem(ens). Um centro de atenção foi estabelecido e o trabalho está visualmente equilibrado. Linhas, valores (cromáticos ou lumínicos) e formas são apropriados e claros e adicionam valor comunicativo e estético ao trabalho.

3 – The design communicates the message. The graphics and/or illustrations are appropriate to the message. The composition leaves enough negative space around the edges of the poster so that the eye can move around the images. A center of interest is established and the work is visually balanced. Lines, values, and shapes are appropriately clear and add to the communication of the work. The craftsmanship is of adequate quality so as not to detract from the visual effect.

2 – The design communicates most elements of the message but some details may be left out. The graphics and/or illustrations do not necessarily fit the theme. The composition does not use the space well but the message is reasonably clear. A center of interest may not be as clear, and the work may not be visually balanced. Lines, values, and shapes are of unsure quality and do not add to the communication. The craftsmanship may be of such quality to detract from visual effect but central message is still present.

1 – Essential elements are missing from the design and it does not communicate the message. The graphics and/or illustrations do not fit the theme or detract from the message. The composition uses space poorly, with no margins, uneven lettering, and poor spacing of lines. There is no center of interest and the work is not visually balanced. Lines, values, and shapes are of poor quality and do not add to the communication. The craftsmanship is of poor quality and detracts from visual effect. The central message is unclear as a result of the lack of visual design.

0 – Unfinished or missing